Me dói o mundo

Depressão
Depressão

Dor física não é nada
Minha cabeça se perdeu há muito tempo
Coimbra tem esse efeito
Faz você se apaixonar
Depois tira tudo
E só restam os livros
E o vinho amargo
E o silêncio dos amigos

Quem dera amar fosse suficiente

Quem dera a lealdade dos amigos fosse verdadeira

Quem dera que vocês fossem dignos de uma lágrima

Queria não ter perdido toda a minha ingenuidade

Queria que dor física fosse tudo

Mas nos últimos tempos me dói o mundo

Outros artigos deste autor >

Ana Haeitmann tem 21 anos e é licenciada em Português na Universidade de Coimbra. Natural de São Paulo, Brasil, vive em Portugal há três anos. Escreve poemas, narrativas e artigos jornalísticos.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Terra
Ler Mais

Nada no Todo

Tenho dez mil maneiras para te amar Mãe Terra Em dez mil maneiras de acontecimentos iremos viver aqui…
Taranhão
Ler Mais

Tartaranhão para que te quero?

Com estas atividades, descobre quem é o tartaranhão-caçador (Circus pygargus), os serviços que presta aos ecossistemas e muito…
Skip to content