Foto por Groupe PSA Centro de Mangualde | Facebook

Um acordo com “pequenas melhorias” para a PSA Mangualde está hoje e amanhã a ser submetido a votação pelos trabalhadores.

Segundo informação dada ao Interior do Avesso pelos trabalhadores da PSA Mangualde, em concreto, o acordo propõe melhorias da bolsa de horas. Na proposta está previsto que a empresa compense o trabalho extraordinário colocando 6 horas em banco e pagando apenas 4 horas a 100%, em vez das 2 horas pagas atualmente. O que fica ainda assim longe da reivindicação dos trabalhadores do pagamento integral a 100%, à semelhança do que acontece noutras empresas da região.

O acordo para 2020/2023 prevê ainda a manutenção dos prémios com criação de um novo prémio de qualidade que pode chegar aos 150 euros, uma compensação de mais 20€ nos sábados e domingos que não forem marcados em calendário e um aumento na remuneração para todos. O aumento proposto não terá efeitos totais imediatos, estando apenas prevista uma subida de 1% este ano, com efeitos retroativos a julho, 1% em janeiro de 2021 e 1% até 2023.

Para cerca de 535 trabalhadores, à semelhança com os colegas de outras fábricas da europa, há a possibilidade de resgatarem o PPR (Plano Poupança Reforma), localizado em Bilbau e que apenas poderiam recuperar em caso de doença, morte, ou fazendo os 65 anos de idade na empresa, estima-se que até fevereiro. Embora possam perder entre 34% a 52% em penalização de impostos, segundo a informação prestada.

 

Ver também:

Artigos do Interior do Avesso sobre a PSA Mangualde

Deixe o seu comentário

Skip to content