Foto por Xabier Cid | Flickr

O Bloco de Esquerda questionou no Parlamento Europeu, através da eurodeputada Marisa Matias e do eurodeputado José Gusmão a Comissão Europeia relativamente às falhas graves e recorrentes de segurança na central nuclear de Almaraz, que constitui uma ameaça para a saúde pública, tanto no Estado Espanhol como em Portugal.

Na pergunta endereçada à Comissão pode ler-se que “apesar de todos os alertas e dos vários acidentes e incidentes que se têm verificado, mais dois registados só na última semana, as três elétricas espanholas que exploram Almaraz têm prorrogado o seu funcionamento, agora previsto até 2028.” Para o Bloco o alargamento do prazo aumenta a possibilidade de ocorrer um acidente com repercussões preocupantes e irreversíveis.

O Bloco já tinha interpelado “a Comissão Europeia que, em 2016, indicou não estar ainda decorrido o prazo de transposição da Directiva 2009/71/Euroatom, actualizada em 2014.”

Os eurodeputados questionam como é que “estando já terminado esse prazo desde 2017, de que forma justifica a Comissão o não cumprimento dos padrões aí estabelecidos”, bem como as medidas que têm tomado para assegurar que o Estado Espanhol cumpre as disposições comunitárias aplicáveis.

O Bloco pretende ainda saber se a Comissão irá pressionar o Estado Espanhol a encerrar a central nuclear de Almaraz no caso de concluir pelo incumprimento.

O Bloco já tinha questionado também na Assembleia da República o Ministério do Ambiente e da Ação Climática por causa dos mais recentes incidentes na central nuclear. A Assembleia Municipal de Castelo Branco também aprovou por unanimidade uma moção pelo encerramento definitivo da central.

Deixe o seu comentário

Skip to content