Foto de Xabier Cid | Flickr

Bloco de Esquerda entregou uma pergunta ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática por causa dos últimos incidentes que aconteceram na Central Nuclear de Almaraz, nomeadamente as paragens inesperadas dos interruptores. Bloco quer saber, entre outras, existe plano de evacuação, em caso de acidente, para as populações de Castelo Branco, Portalegre e Santarém. Assembleia Municipal de Castelo aprova moção pelo encerramento definitivo da central.

No espaço de uma semana, a Central Nuclear de Almaraz, localizada no Estado espanhol, registou três incidentes, segundo a agência espanhola EFE. O último foi no dia 27 de junho onde o reator na unidade II se desligou automaticamente após a reabertura inesperada de um dos seus reatores, mas de acordo com a entidade gestora de central, não está em causa a segurança do ambiente nem dos trabalhadores. 

O Bloco lembra na pergunta que “em maio, o Conselho de Segurança Nuclear do Estado espanhol deu parecer favorável ao pedido de renovação da licença de exploração da central nuclear de Almaraz, cuja vigência terminava em junho de 2020, depois de ter sido prolongada em 2010. A renovação da licença surge na sequência do pedido feito pelos proprietários da central nuclear – as empresas Iberdrola, Endesa e Naturgy. A autorização final depende do Ministério para a Transição Ecológica do Estado espanhol”. 

A renovação da licença da atividade da central nuclear de Almaraz vai permitir que  continue a funcionar até outubro de 2028. Foi construída em 1972, tendo os seus reatores começado a funcionar em 1981 e 1983. 

A ampliação do prazo de funcionamento, em 2018, foi devido a construção de um aterro de resíduos nucleares junto à central, mas o Bloco refere que “a construção do aterro motivou uma queixa formal do Governo português à Comissão Europeia, em janeiro de 2017”. 

Assim, o Bloco dirigiu uma pergunta ao ministério onde quer saber se o governo tem conhecimento dos últimos incidentes na central nuclear, se existem planos de evacuação para as populações dos distritos de Castelo Branco, Portalegre e Santarém e se o Estado português foi informada do processo de licenciamento da central até 2028. 

Assembleia Municipal de Castelo Branco aprova por unanimidade uma moção que pede a intervenção urgente do governo português para o encerramento da central 

De acordo com a Lusa, a Assembleia Municipal de Castelo Branco aprovou por unanimidade uma moção que pede ao governo português uma intervenção junto do Estado espanhol e das instituições europeias para o encerramento definitivo da central nuclear de Almaraz. 

A moção foi subscrita por todos os partidos com representação neste órgão autárquico (PS, PSD, CDS, Bloco e CDU) e lembraram que “já anteriormente a Assembleia Municipal de Castelo Branco se manifestou pelo encerramento da central nuclear, designadamente em 2016”. 

Deixe o seu comentário

Skip to content