Foto por Stéphane M. Grueso | Flickr

Apesar dos incidentes frequentes, o ministério da Transição Ecológica do Governo espanhol renovou as licenças de exploração para os Grupos I e II da central nuclear de Almaraz em Cáceres, a cerca de 100 quilómetros da fronteira portuguesa. 

Estas serão as últimas licenças antes do início do encerramento da central nuclear espanhola. A agência noticiosa Efe cita fontes do Governo espanhol que afirmaram que o ministério da Transição Ecológica formalizou as ordens de renovação das autorizações, na sequência de um relatório favorável do Conselho de Segurança Nuclear (CSN).

No caso do Grupo I a licença de exploração é prorrogada até 01 de novembro de 2027, e no caso do Grupo II até 31 de outubro de 2028. Segundo o Notícias ao Minuto, o pedido da renovação de licenças terá partido das empresas que atualmente exploram a instalação, designadamente Iberdrola, Endesa e Naturgy.

De acordo com um protocolo assinado em 2019 entre a Enresa e os proprietários das centrais nucleares espanholas, o seu encerramento ocorrerá de forma ordenada e gradual entre 2027 e 2035. Este protocolo tem em conta o Plano Nacional Integrado de Energia e Clima 2021-2030, segundo o qual, até 2030, 74% do sistema elétrico espanhol será abastecido por energias renováveis.

Recentemente têm sido registadas na central de Almaraz falhas graves e recorrentes de segurança, o que constitui uma ameaça para a saúde pública, tanto no Estado Espanhol como em Portugal.

O Bloco de Esquerda questionou recentemente a Comissão Europeia sobre as falhas em Almaraz. Já tinha questionado também na Assembleia da República o Ministério do Ambiente e da Ação Climática. A Assembleia Municipal de Castelo Branco também aprovou por unanimidade uma moção pelo encerramento definitivo da central.

 

Ver também:

Notícias do Interior do Avesso sobre Almaraz

Deixe o seu comentário

Skip to content