O projeto da Grande Rota do Estrela Geopark arranca já este mês e inclui percursos que permitirão aos visitantes conhecer grande parte dos geossítios da Serra da Estrela, bem como as sedes dos seus nove concelhos.

Segundo notícia d’O Interior, esta Grande Rota, de 760 quilómetros, pedestre e ciclável, irá atravessar o território do Estrela Geopark permitindo a visitação e o conhecimento de 75 dos 124 geossítios já inventariados. A implementação começa este mês e estará concluída no outono de 2022.

Os vários percursos pedestres e cicláveis interligados, “de forma integrada e complementar, permitem a visitação de uma vasta área do Geopark, uma grande parte dos seus geossítios (75 dos 124 geossítios inventariados) e de todas as sedes dos nove municípios que integram este território”, revelou o Geopark Estrela, de acordo com O Interior.

Acrescentando que a rota será desenvolvida “numa lógica de visitação independente e complementar, e até coincidente em alguns troços, e tem vindo a ser pensada de modo, a que sempre que possível, possa estruturar os diversos trilhos de percursos pedestres que proliferam, de forma fragmentada e de âmbito municipal, pelo território”.

Os 760 quilómetros incluem, segundo O Interior, trilhos de pastores, caminhos ancestrais ou outros mais modernos, mas de vocação rural e florestal, passando pelo mínimo de estradas asfaltadas. Mesmo neste caso, a passagem será sempre efetuada por itinerários secundários e com tráfego reduzido.

A futura Grande Rota do Estrela Geopark irá ainda coincidir parcialmente com as duas Grandes Rotas já existentes na região, a GR22 (Rota das Aldeias Históricas) e a GR33 (Grande Rota do Zêzere), bem como com o traçado dos Caminhos de Santiago. 

“Além dos traçados de uma grande parte dos percursos pedestres municipais de Pequena Rota existentes, ou seja, 44 percursos inventariados no conjunto dos nove municípios, a Grande Rota do Estrela Geopark interliga 40 deles, distando de uma curta distância dos restantes quatro, assumindo, de forma determinada, uma função profundamente estruturante para a dinâmica do turismo de natureza em todo o território da Serra Estrela”, explicou o Geopark Estrela.

A Associação Geopark Estrela, que gere aquele que é o mais recente Geopark UNESCO de Portugal, anunciou também que a rota representa um investimento total de cerca de 250 mil euros, financiamento assegurado pela Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, do Turismo de Portugal.

Deixe o seu comentário

Skip to content