A denúncia está no site desempregos.pt e parte de um testemunho publicado na Plataforma Resposta Solidária. Os formadores precários deste instituto do estado ficam em casa e sem rendimento.

Muitos destes trabalhadores estão a falsos recibos verdes, em exclusivo e com horários que chegam às 12 horas diárias.

Estes profissionais estão no processo de regularização de precários do estado (PREPAV), tendo já obtido parecer positivo, que comprova que estão a desempenhar funções permanentes para o estado, com vínculo precário e em alguns casos há várias décadas.

Por todo o país a continuidade das formações do IEFP é incerta, tendo muitos destes profissionais dado disponibilidade para ensino à distâncias, mesmo que até ao momento desta denúncia, 23 de março, não tenha havido nenhuma garantia da aplicação desta nova modalidade de ensino.

O IEFP tem 82 centros de emprego, 32 centros de formação profissional de gestão directa e 29 centros de formação profissional de gestão participada.

Deixe o seu comentário

Skip to content