Foto de CineEco Seia | Facebook

O filme de Oliver Laxe, natural de França, mas com origens galegas, conta a história de uma aldeia da Galiza onde dá início um fogo florestal. O filme venceu o festival ambiental realizado em Seia, no distrito da Guarda. 

A longa-metragem “O Que Arde”, de Oliver Laxe, foi o vencedor do 26º CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que findou ontem, sábado, dia 17 de outubro. 

O filme é descrito, em comunicado, pela organização do festival como “uma parábola rural passada numa aldeia aninhada nas montanhas da Galiza, que se depara com um fogo florestal, após o regresso à comunidade de um condenado. A narrativa está assente na Natureza (a humana e a da terra) que pode destruir ou autodestruir-se”. 

Na mesma categoria, na Competição Internacional de Longas-Metragens, “El tren de Los Pies Ligeros”, de Miguel Coelho, conquistou o Prémio Antropologia Ambiental. 

🏆 PALMARÉS DO CINEECO 2020 🏆 Parabéns a todos os vencedores!

Publicado por CineEco Seia em Sábado, 17 de outubro de 2020

De acordo com a organização, a 26º edição do CineEco “esteve em grande destaque entre longas e curtas-metragens, representando cerca de metade de todas as obras em competição de entre os 77 filmes e documentários de mais de 25 países, exibidos ao longo de uma semana”. 

Na Competição Internacional de Curtas-Metragens, o vencedor foi a animação “Entre Baldosas”, do argentino Nicolás Conte. Por sua vez, a animação portuguesa “O Peculiar Crime do Sr.Jacinto”, de Bruno Caetano, venceu o Prémio Educação Ambiental. 

O realizador de Oliveira de Hospital, Tiago Cerveira, conquistou de novo o Prémio Panorama Regional com a “Máscara de Cortiça”. 

Já foi anunciada a próxima edição do CineEco de Seia, que será a 27º, e terá lugar de 9 a 16 de outubro de 2021. 

Deixe o seu comentário

Skip to content