Está a ocorrer no Vale da Senhora da Póvoa, no concelho de Penamacor, um festival com transmissão online dedicado a Jaime Lopes Dias, um importante etnógrafo do século XX que fez o levantamento de contos tradicionais, lendas, cancioneiro e costumes da Beira Baixa.

O programa inclui oficinas de gastronomia sobre o azeite e a caça na cozinha contemporânea e sobre azulejaria, conversas sobre o papel dos etnomusicólogos nos séculos XX e XXI e sobre o teatro popular ou a vida dos adufes.

Mas o ponto alto do festival, organizado pelo município de Penamacor e pela junta de freguesia de Vale da Senhora da Póvoa, será um concerto com base nas recolhas de Jaime Lopes Dias, a encerrar a programação pelas 21H30 de domingo, dia 22 de novembro.

Jaime Lopes Dias nasceu no final do século XIX na aldeia de Vale de Lobo, atualmente chamada Vale da Senhora da Póvoa, no concelho de Penamacor, tornou-se um importante nome da etnografia portuguesa. Durante os anos 60 saem os dez volumes da sua obra mais reconhecida, “A Etnografia da Beira”.

O etnógrafo, formado em Direito pela Universidade de Coimbra, foi, entre outras atividades profissionais, professor em Castelo Branco, oficial do registo civil em Penamacor e notário em Idanha-a-Nova. A sua acção foi determinante na criação do Museu Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco. Foi também responsável por dirigir e colaborar em diversas publicações da região de Castelo Branco e Lisboa.

Deixe o seu comentário

Skip to content