Perspetivas Feministas: Feminismo Interseccional


Inês Coelho, 31 anos, ativista pelos direitos das mulheres e pelos direitos humanos, integrante do núcleo da UMAR Viseu, apresenta a sua Perspetiva sobre Feminismo Interseccional.

Este é o segundo episódio das Perspetivas Feministas, pequenos vídeos que dão voz a várias mulheres do interior e às suas perspetivas sobre temas como o assédio sexual, o feminismo interseccional, o papel da mulher no espaço rural, entre outros, que poderás acompanhar no Avesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Ler Mais

“[No Interior] Não queremos estar sempre em saldos”

Manuela Antunes, cabeça-de-lista por Viseu, foi perentória: “Não queremos estar sempre em saldos”. As populações estão cansadas de “investimento patrocinado por dinheiros públicos que não respeite o ambiente, as pessoas e que simplesmente depois de usar deita fora”.
Demais-e-Demais-Viseu-2022-1
Ler Mais

Demais é Demais! – Ação em Viseu

«Demais é Demais! É preciso parar a inflação que esmaga os salários e as pensões. São precisas ações corajosas de taxar os lucros abusivos, controlar os preços dos serviços essenciais e dos produtos básicos para a sobrevivência, é preciso aumentar salários e pensões para recuperar a capacidade das pessoas viverem.» Ações em Viseu com Catarina Martins à margem do Roteiro Pela Justiça Climática.
Caminhos para o Interior com Isabel Pires, Heitor de Sousa e Patrícia Pereira. Moderação a cargo de Eduardo Marques.
Ler Mais

PARTI: um Programa de Apoio à Redução Tarifária para o Interior

Heitor de Sousa defende que um Programa de Apoio à Redução Tarifária para o Interior (PARTI) terá que ser necessariamente diferente porque, por exemplo, as regiões metropolitanas têm vários transportes (metro, comboio, autocarros) e “no interior só poderemos ter autocarros e comboios a circular”.
Ler Mais

Precariedade e Assédio na Stellantis (PSA) Mangualde

Catarina Martins esteve esta segunda-feira com trabalhadores da fábrica Stellantis (PSA) em Mangualde. O grupo teve apoios públicos nacionais e europeus, mas está a mandar embora todos os trabalhadores da geração mais nova que têm contratos a termo. E a sobrecarregar os efetivos.
Skip to content