Polo Arqueológico da Garganta celebra a música de intervenção

Iniciativa cultural em Sabrosa, em Vila Real, assinala os 50 anos da revolução do 25 de Abril de 1974 com foco na canção de protesto.
“A Cantiga Era uma Arma” ( 2014 ), de Joaquim Vieira

Organizado pela Associação de História e Arqueologia de Sabrosa (AHAS), em parceria com a Associação Transmontana Pelo Desenvolvimento (ATPD), a iniciativa intitulada de “A música de intervenção, a canção de protesto…Portugal e Espanha”, propõe celebrar a arte da música de intervenção, esse género musical que começou a desenvolver-se nos últimos anos do Estado Novo e sobretudo no pós revolução.

“Celebrar essa arte, essa arte musical de um tempo passado, um tipo de arte ou poesia cujas mensagens são intemporais. A música de intervenção é, no geral, poética e reflexiva.”, sublinha em comunicado a AHAS.

Com debates, concertos e exibição do filme “A Cantiga Era uma Arma” ( 2014 ), de Joaquim Vieira, a iniciativa que pretende “dar a conhecer as manifestações artísticas de um período da história de Portugal”, realiza-se no dia 20 de abril (sábado), a partir das 15h, no Parque Arqueológico da Garganta em Sabrosa.

“O chamado “Período Revolucionário” em Portugal, nos contextos do fim da ditadura, o fim do chamado “Estado Novo”, libertou não só a sociedade e o país de uma opressão física como também de uma opressão literária, filosófica, musical, social, religiosa e económica.”

“Na verdade, as coisas correram bem e algumas correram menos bem, naturalmente devido ao clima ”quente” provocado pela libertação de mais de 40 anos de opressão, pobreza, miséria, prisões, PIDE, autoritarismo, enfim.. Nesses tempos difíceis, entre Abril de 1974 e 1976, uma série de artistas, músicos, pintores, escultores e tantos outros criaram verdadeiras obras de arte que já flutuavam ainda em tempos de ditadura.”

“A música, neste caso, a chamada “música de intervenção” ou “música de protesto” ou “protesta” corresponde a uma linha geral de revolta e tentativa de enquadrar as necessidades das pessoas e os problemas que viviam.”

A música de intervenção, a canção de protesto...Portugal e Espanha
A música de intervenção, a canção de protesto…Portugal e Espanha
Related Posts
Ler Mais

“Reforçar o número de profissionais do SNS é a grande prioridade do Bloco”

À saída da reunião no Infarmed, em Lisboa, Moisés Ferreira defendeu que é preciso acelerar o ritmo de vacinação em Portugal e contratar diretamente profissionais para os centros de vacinação, para as unidades de saúde pública, cuidados primários de saúde e hospitais. Notícia publicada em Esquerda.net
Skip to content