Foto de bertknot | Flickr

A Rede Nacional de Postos de Vigia para a vigilância de incêndios rurais foi reforçada com a entrada em funcionamento de mais 153 postos e assim ficam ativos 230 em todo o país. 

De acordo com a Lusa, os 230 postos de vigia fazem parte da rede secundária e vão contar com 920 operadores até 15 de outubro, onde o funcionamento é assegurado 24 horas por dia. A Rede Nacional de Postos de Vigia é coordenada pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e integra o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais de 2020. 

Segundo o Ministério da Administração Interna (MAI), os distritos mais reforçados foram Vila Real, Castelo Branco e Aveiro. Para além do alerta às entidades responsáveis pelo combate aos fogos, a rede de postos de vigia contribui ainda para a georreferenciação da ocorrência, através do processo de triangulação e da produção de informação complementar útil de apoio à decisão operacional. 

A fase mais crítica dos incêndios começa amanhã, dia 1 de julho. Os dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) referem que desde 1 de janeiro a 28 de junho registaram-se 2035 incêndios rurais que resultaram numa área ardida de 3886 hectares. 55% são matos, 39% são povoamentos florestais e 7% de terrenos agrícolas. 

Deixe o seu comentário

Skip to content