Vasco Valente Lopes, enólogo, em várias Quintas da Região Demarcada do Douro, produtor e DJ de música electrónica, é apresentado como o cabeça de lista da primeira candidatura do Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal de Peso da Régua. 

O Interior do Avesso falou com o candidato que traçou como principais objetivos da candidatura “fazer chegar a voz do Bloco mais longe, lutar contra o aumento da desigualdade, a falta de mão de obra da região e um turismo pouco sustentável, de massas e pouco ecológico”, realidades que têm alimentado o “êxodo rural” das pessoas do concelho.

Vasco Valente Lopes, que assume nunca ter tido qualquer tipo de ambição política pessoal, explicou-nos que aderiu recentemente ao Bloco por acreditar na democracia e depois de verificar o “crescimento da extrema direita” nas últimas eleições presidenciais.

Defende serem necessárias “mais pessoas a intervirem na política” a nível local, sendo essa a responsabilidade que sente e o objetivo com que se propõe a esta candidatura. “A luta depende de cada um de nós”, afirma.

É hoje enólogo, em várias Quintas da Região Demarcada do Douro, produtor e DJ de música electrónica. Segundo nota do Bloco de Esquerda de Vila Real, “entra na política pela vontade em participar ativamente nas decisões que tomamos como sociedade, agastado pelas más deliberações governativas do passado, a falta de visão para o futuro e, acima de tudo, pela crença na democracia e na visão do Bloco de Esquerda para um mundo mais justo, equilibrado e sustentável.”

Com 37 anos, nasceu a 21 de dezembro de 1983 no Peso da Régua, onde viveu até aos 14. Neste momento reside em São João de Lobrigos (Santa Marta de Penaguião), tendo estudado na Escola Secundária Dr. João de Araújo Correia até ingressar, em 2001, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, no curso de Enologia.

O nome de Vasco Valente Lopes foi aprovado por unanimidade na Assembleia Concelhia de aderentes do Bloco de Esquerda no Peso da Régua.

Vasco Valente Lopes

Deixe o seu comentário

Skip to content