Suspeitas da prática de fraude para obtenção indevida de subsídios entre 2010 e 2013 na base da acusação do Ministério Público.

Notícia da Lusa revela que o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra contabilizou um montante indevido superior a 240 mil euros de apoios financeiros a 150 projetos de investimento.

A notícia da agência noticiosa diz que o comunicado do DIAP de Coimbra revela que os agricultores acusados compraram diverso equipamento agrícola (tratores e outras alfaias) a duas empresas sediadas na Guarda, sendo que “os preços foram alvo de descontos que não foram comunicados às entidades processadoras dos subsídios, possibilitando, desta forma, que os apoios financeiros tivessem sido atribuídos com base em custos dos equipamentos superiores aos efetivamente pagos, com o inerente prejuízo para o orçamento comunitário”.

Estas compras foram feitas através de projetos de investimento aprovados pelo Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP), no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR).

Deixe o seu comentário

Skip to content