Foto de Paulete Matos

Com o confinamento, a fatura da água crescerá nos lares portugueses. A distrital da Guarda do Bloco de Esquerda propõe às 14 Câmaras da região que isente consumidores de pagamento da água, resíduos e saneamento durante este período.

Num comunicado divulgado esta segunda-feira, a distrital da Guarda do Bloco de Esquerda propôs que fosse aplicada uma isenção do pagamento de água, saneamento e resíduos durante o período de confinamento causado pelo novo coronavírus.

Os bloquistas da Guarda justificam a iniciativa com o esperado aumento de consumos que fará disparar as despesas numa altura em que muitos trabalhadores virão reduzidos os seus rendimentos. Para além do efeito nos consumidores particulares, temem que esta fatura tenha efeitos negativos nas empresas que também enfrentam já muitas outras dificuldades.

O comunicado, feito em conjunto, com o Grupo Municipal do Bloco na Guarda, foi enviado aos presidentes de todas as Assembleias Municipais do distrito. Nele se requere “que venham a isentar todos os agregados familiares e respectivas empresas dos respectivos concelhos de qualquer pagamento do consumo de água, saneamento e resíduos, durante o período em que esta pandemia estiver activa”.

Isto apesar da ressalva: “temos consciência de que tal medida terá impacto nas contas das autarquias. Contudo, entendemos que situações de excepção merecem, sem dúvida, medidas de excepção”.

Artigo publicado em esquerda.net

Deixe o seu comentário

Skip to content