fenda

peguei no medo e escrevi: amanhã

peguei no medo
e escrevi:
amanhã

com a mesma mão
esquerda
firme

com que ontem
risquei
liberdade

quando
a história se dissolve
e o futuro é mercúrio

agarro na dúvida
e dou certeza

agarro no ódio
e dou braços

agarro na revolta
e procuro mãos

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Outros artigos deste autor >

Ativista. Formada em Antropologia. Deputada na Assembleia Municipal de Viseu pelo Bloco de Esquerda.

Related Posts
Ler Mais

Tremor

O fervor de teu amor abriu em flor Minha paixão segue as galáxias até Plutão Tua mão macia…
Ler Mais

As Árvores da Liberdade

Amanhã, dia 2 de março, vai decorrer o evento “Plantação Comemorativa dos 50 Anos do 25 de Abril”
Skip to content