It’s Now (É Agora)

Planeta Terra

Meus queridos filhos e netos!

Dantes, as estações do ano vinham na sua época certa.

Agora, as estações do ano, devido às oscilações climáticas,

ocorrem desordenadamente.

Dantes, eu trepava às árvores perto de minha casa.

Agora não posso, porque está tudo queimado.

Dantes, havia biodiversidade de espécies animais e vegetais.

Agora, muitas espécies estão em vias de extinção.

Dantes, oceanos e mares estavam despoluídos e azuis.

Agora, temos oceanos e mares cheios de plástico.

Dantes, pouca gente separava os resíduos domésticos.

Agora, já existem mais pessoas que têm uma consciência planetária.

Dantes, o homem não punha as máquinas a perfurar o solo para extrair

combustíveis fósseis.

Agora, o dióxido de carbono libertado para a atmosfera faz derreter

o gelo dos polos.

Dantes, as pessoas não queriam saber da proteção da Natureza.

Agora, o planeta Terra está todo poluído.

Dantes, Deus disse: “Cubra-se a terra de vegetação”.

E assim foi. E viu que estava bem feito.

Embora já existam mais pessoas com uma consciência planetária, nós humanos    

estamos a destruir a destruir a Criação.

Onde está a responsabilidade para com tudo aquilo que Deus nos confiou?

Se a Natureza falasse…!

Seres Humanos, acordai!

Now!

 

Poema dos alunos do 1º CEB de Manhouce, publicado na compilação da Associação Ajudaris de 2018

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Ler Mais

Cinema na Cidade 2019 | Programa

Foi divulgado hoje pelo Cine Clube de Viseu o programa da iniciativa Cinema na Cidade, que volta, mais uma vez, a ocupar o…
Ler Mais

Ave rara oriunda da América do Norte observada no Vale do Tua

Uma ave oriunda da América do Norte e rara em Portugal, com o nome comum caturro (Aythya collaris), também conhecida por zarro-de-colar, foi observada no Vale do rio Tua no dia 31 de janeiro de 2022. Em Portugal, a observação desta espécie, um pato mergulhador, é uma raridade, sendo este o primeiro registo de um caturro no distrito de Bragança e um dos poucos no interior de Portugal a norte do rio Tejo.
Skip to content