Podes cair sete vezes mas levantas-te oito

Poema de Shenhua sobre Mariana Mortágua
Interior do Avesso | Foto de Rita Madeira

Quando a voz é um mero sussurro

Ignorada como uma sombra no escuro

Vens com ténis nos pés e cravos na mão

O grito pelos mais frágeis – o teu brasão

 

A verdade mesmo que a voz trema

Contra o muro, tantas vezes intransponível

Não desistes, não cedes – lutas contra o inconcebível

Igualdade, liberdade, justiça – o teu lema

 

Quando a voz perde a esperança

Lá estarás, com a tua irreverência

Num momento incerto

Tempos de desconcerto

 

Com o teu olhar afoito

Perante a adversidade

Com as suas calúnias e falsidade

Podes cair sete vezes mas levantas-te oito

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Related Posts
Noite com estrelas
Ler Mais

Com Verdade à Janela

A tua liberdade só dá obrigatoriedade ao outro Que por amor e amizade transporta uma dor De estar…
Skip to content