Este é o nosso primeiro registo de um tartaranhão-ruivo-dos-pauis num CAAN

Fotografia Palombar
Registámos, pela primeira vez, num dos campos de alimentação para aves necrófagas (CAAN) que gerimos no concelho de Mogadouro (distrito de Bragança), um tartaranhão-ruivo-dos-pauis (Circus aeruginosus), também denominado por águia-sapeira, uma ave de rapina com estatuto de ameaça “Vulnerável”, segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal.
Esta espécie está presente principalmente em zonas húmidas e apresenta baixas abundâncias, sendo pouco comum no território nacional. O registo desta ave, uma fêmea sub-adulta, foi feito nos dias 18 e 23 de março de 2021 por uma câmara de fotoarmadilhagem colocada no CAAN. Provavelmente esta fêmea fez uma paragem durante a sua rota migratória para descansar e recuperar energia, antes de prosseguir com a sua viagem rumo ao norte.
A maioria da sua população é residente, permanecendo durante todo o ano em Portugal. O número de indivíduos desta espécie pode aumentar um pouco durante o inverno devido à vinda de tartaranhões-ruivo-dos-pauis invernantes provenientes de outros territórios.
Esta rapina apresenta uma dieta variada que inclui pequenos e médios vertebrados, como ratos e coelho, que caça tanto no solo como na água. Pode praticar com alguma frequência necrofagia, sobretudo quando as suas presas habituais são escassas.
Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts
Ler Mais

Do alto da minha aldeia

Foto por Vitor OliveiraDo alto da minha aldeia, vejo o céu a brilhar, não vejo rio nem vejo…
Ler Mais

Marcas de minha alma

Tem dias que ainda tenho dúvida Sobre para quem são Minhas músicas de amor Mas isso não importa…
Skip to content