Há pelo menos 65 casais de águia-real nidificantes em Portugal e campos de alimentação têm contribuído para promoção e conservação da espécie

Águia-real. Fotografia Palombar.
Águia-real | Foto por Palombar
Dados recentemente divulgados pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) revelam que há, atualmente, pelo menos 65 casais de águias-reais (Aquila chrysaetos) nidificantes em Portugal e que é sobretudo nos distritos de Bragança e da Guarda que se localizam a esmagadora maioria destes (entre 44 e 50 casais). Esta espécie encontra-se ameaçada, estando classificada como “Em Perigo” no território nacional por apresentar uma população muito reduzida.

No que se refere ao distrito de Bragança, o Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) e a Zona de Proteção Especial (ZPE) Rios Sabor e Maçãs são os principais santuários para a espécie. É precisamente nessas áreas que a Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural gere vários campos de alimentação para aves necrófagas (CAAN), quer no âmbito de ações do Grupo Nordeste, quer enquadradas no projeto LIFE Rupis.

A águia-real é uma espécie parcialmente necrófaga e a sua presença nos CAAN geridos pela Palombar é frequente, havendo inúmeros registos desta rapina a alimentar-se nessas estruturas. Esta ave tem como presas de eleição o coelho-bravo e a lebre, contudo, em zonas onde a densidade destas espécies é mais reduzida, poderá praticar com maior frequência a necrofagia, sendo os CAAN fundamentais para aumentar a disponibilidade de alimento para esta.

Dados do projeto LIFE Rupis para o PNDI, assim como de um estudo realizado pela Palombar na Zona de Caça Associativa (ZCA) de Santulhão, em plena ZPE Rios Sabor e Maçãs, indicam que a densidade de coelho-bravo nessas áreas é reduzida ou tem vindo a diminuir, o que torna os CAAN numa ferramenta importante para a conservação da águia-real, sobretudo durante a sua época de reprodução, quando os requisitos nutricionais são mais elevados para os progenitores e crias, e também para os juvenis da espécie.

Saiba mais sobre a águia-real aqui.

 

Publicado por Palombar a 29 de março de 2021

Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
rosas amarelas
Ler Mais

Luz e sombras – Parte I

Era Outono. As folhas dos plátanos desprendiam-se numa chuva dourada ao longo da Avenida Sá da Bandeira: o…
Skip to content