Foto por Chris Martin | Pixabay

Caiu do Universo por entre as pernas de sua mãe.

Seria menina ou menino?

 

Aos pais nada lhes dava um género, somente o fruto de quem amou

A criatividade na fertilidade e uma energia sob todas as formas de empatia.

 

Depois do berço veio o terço.

Chegou já a escola, a sacola e a cola, 

Na paragem do autocarro a aragem colava ao cabelo comprido o escarro. 

 

Era feliz como qualquer petiz do exterior no seu próprio interior.

Nada era superior à sua existência repleta de essência.

 

E no experimentar a existência

Ser ou não ser, ter ou não ter

O respeito desta sociedade sem pertinência e nenhuma complacência.

Outros artigos deste autor >

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe o seu comentário

Skip to content