Brilho lunar

lua-flor

Não me importam os carros de marca importada

A andarem pelas estradas e auto-estradas.

Só me importa o brilho da Lua

E a mais pequena flor nascida

Num qualquer cantor da rua.

Não quero estar vestida com marcas

Reconhecidas pela sociedade gananciosa.

Vivo vestida na prosa da minha essência

E caminho com a paciência da meia-idade

Vou e semeio o grão no chão fértil.

Espero dias para ver o subtil estalar da semente

Feita planta fora da terra.

Continuamente rego o altar da manta verde

Esperando por um jantar à mesa

Com a certeza que é um manjar dos Deuses do Universo.

Outros artigos deste autor >

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Related Posts
Ler Mais

A esteva…

Foto de Palombar A esteva (Cistus ladanifer) é um ícone das paisagens campestres. Nos matos e matagais, destaca-se…
Ler Mais

Inv(f)erno

Foto por Sophie07 | PixabayInverno seco da minha carne Contos de fadas e verões A esperança é velha…
Skip to content