Tuas palavras são lenha que acendem no frio em mim

A chama do queimar Alecrim perfumado sem fim meu espírito sagrado.

Com agrado planto uma semente de Jasmim no teu jardim

Cheiro extasiado tua amorosa essência

Onde paro a frequência alta do alcançar o éter do teu coração vibratório.

Seguras minha mão que não muda de posição em amor discorrido pelos dedos

Sem nenhum temor de estar a amar o momento único.

Juntas ao achar e apanhar o sentimento da doçura e da loucura

Sem ter-te no leito a eito na curta distância de sentir teus peitos

Na ânsia de tocá-los sem despeitos.

Dentro da humidade longínqua da cidade paradisíaca

Deito minha língua afrodisíaca em lugar com abundante preceito.

Chego e paro na ilha de pedra aflorada pela nudez do areal perante o caldo primitivo.

Contra o rochedo amamo-nos no espelho especial da dimensão 

Misturada num cântico murmurado pelo silêncio das ondas.

Senti nosso ser e vi o oceano inteiro no brilhar da areia do mar

Crescemos ao descermos em quem nunca foi alguém

Só veio o sensível do invisível poder Lunar na maré.

Molhámos os pés num beijo vestido de paixão

Desprovido de antecipação numa bênção inesperada

E consagrada pelo Universo em verso nos nossos lábios.

Outros artigos deste autor >

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe o seu comentário

Skip to content