Tu queres o que já tens, vais e vens pelo caminho das serranias

Lá ficamos livres sem manias no pousar da cabeça ao avesso sem um tropeço

Só peço que sintas a brisa das fadas aladas durante as caminhadas pela montanha.

Sigo sem manha o Sol até andar como uma lesma

Faço-me passar devagar por esta vida não ligando ao passado nem futuro

Este pensamento não dá p’ra ficar na mesma.

É este momento presente que ficará para quem o lerá

Pois o passado foi abraçado ao rio que passou debaixo da ponte

Quero presente sem ver futuro à nossa frente.

Paramos na quietude da montanha iluminada sem querer mais nada.

Outros artigos deste autor >

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe o seu comentário

Skip to content