Caí neste planeta através do amor duma constelação de duas estrelas

Nasci aqui por entre as pernas maternais cheias de cores universais.

Cresci no verde dos pinhais onde fiz baloiços nos ramos das árvores

Senti cócegas nesse baloiçar no ar puro

Seguro a duas cordas sem medos do duro chão.

O cão Jáqui revirava os olhos naquele vai e vem

 Ali lançado pelos dez dedos dos pés atados às sandálias de couro.

Neste entretém sonhava voar

 Até além do azul do céu

Por cima do amigo pinheiro.

Quando larguei este baloiçar

Os ramos perguntaram se tinha sido por dinheiro?

Andei até que fartei os maços de tudo

Agora, reencontro a árvore, o chão, o cão e o céu azul.

Sou só feliz assim!

Outros artigos deste autor >

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe o seu comentário

Skip to content