Toupeiras

Acordai, professores! Unam-se, reclamem, protestem, indignem-se, insurjam-se contra esta corja de malfeitores.
pixabay.com

Há demasiadas toupeiras em Portugal!
Há pequenos ditadores no ministério,
Que só disseminam o mal,
Com seu efeito deletério.

Há alunos sem professores,
Há professores sem turma,
Devido a tecnocratas opressores,
Que tornam a Educação enferma!

Acordai, professores!
Unam-se, reclamem, protestem, indignem-se, insurjam-se
Contra esta corja de malfeitores.

Acordai, sociedade civil!
Exijam Educação de Excelência.
Expulsem os ignóbeis do dourado covil!

Falta cumprir-se a Educação em Portugal.

 

Paulo Fernandes

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Related Posts
Ler Mais

Dia de poesia

Foto por Jr Korpa | UnsplashNeste dia de poesia entretive-me a protelar como quem protesta. Desde a primeira…
mãos com flor de lótus
Ler Mais

Mulher sem nome

Tu, mulher sem nome Que no silêncio e na solidão dos dias Deixas que as tuas mãos experientes…
Skip to content