Hoje é dia de “horticure” o aroma da grama [sem título]

relva
relva
Foto por Hans Braxmeier | Pixabay
Hoje é dia de “horticure” o aroma da grama
podada enche-me os órgãos sensoriais
de um olor matutino que me desperta um sorriso
iluminado que Hélio rejubila em seu tépido aconchego

extasiado observo o parque ornado pelo progresso que
o vai rejuvenescendo a cobiça e a inveja irrompem-me pelo pensamento
na minha equestre cidade não há parque ou jardim que igualmente me maravilhem
e fico matutando nisso até chegar à aula

falamos de autores e editores publicações e rejeições
lembro-me de que já há anos o mesmo me aconteceu
e
paro de escrever.

Outros artigos deste autor >

Nasceu em Macedo de Cavaleiros, Coração do Nordeste Transmontano, em 1983, onde orgulhosamente reside. Licenciado em Línguas, Literaturas e Culturas, publicou poemas e artigos na extinta fanzine “NU” e em blogues, antes de editar em 2015 o livro-objecto “Poesia Com Pota”. Português de Mal e acérrimo defensor da regionalização foi deputado municipal entre 2009-2013.
Este autor escreve segundo o antigo acordo ortográfico.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Skip to content