Foto por Jóni Ledo

Enara Teixeira é a candidata à Câmara Municipal de Peso da Régua que defendeu a participação política, definiu prioridades na eduçação e ambiente e afirmou: “estamos aqui para ficar”! A candidata à AM de Lamego, Carolina Leite também falou do seu concelho. Por Esquerda.net

No comício de verão, realizado em Peso da Régua, intervieram Carolina Leite, candidata à Assembleia Municipal (AM) de Lamego; Vítor Carvalho, candidato à Assembleia de Freguesia de Peso da Régua; Vasco Valente Lopes, candidato à AM; Enara Teixeira, candidata à Câmara; Marisa Matias e Catarina Martins.

Enara Teixeira começou por aponta que o Bloco procura em todas as propostas “seriedade e participação popular”, sublinhando que “os cidadãos são a chave para o sucesso de qualquer projeto político”.

“O turismo e a agricultura são as principais redes de suporte económico no concelho, mas não são as únicas e não podem ser”, disse a candidata à Câmara, destacando que “o desporto deve ser uma alternativa viável para fazer parte do dia a dia de jovens e adultos”.

Enara Teixeira enunciou como prioridades para a candidatura bloquista a educação e o ambiente e defendeu a aposta na variedade cultural, considerando que “o executivo municipal deve trazer a cultura para a esfera escolar”. “A cultura educa e forma cidadãos com pensamento crítico”, sublinhou.

No ambiente, defendeu que “a sustentabilidade do ecossistema deve ser levada a sério” e afirmou que a candidatura tem alternativas para “a preservação da vegetação ribeirinha, para o abuso indiscriminado dos recursos hídricos, para o melhoramento do funcionamento da ETAR e para a inclusão de todos e todas na educação climática”.

A candidata defendeu uma política própria para os animais de companhia, a inclusão de um ou dois veterinários no quadro de funcionários camarários, para auxiliarem as associações existentes e garantirem o atendimento gratuito.

Sobre a saúde, defendeu a luta por médico de família para todos e todas, o aumento da capacidade de atendimento, “sem esquecer a saúde mental”, a contratação de mais profissionais de saúde e o apoio psicológico, “em todas as idades, classes sociais ou culturas”.

Defendendo a mobilidade urbana, propôs uma rede de transportes urbanos, “tendencialmente gratuita, com horários que coincidam com quem ususfrui e veículos não poluentes”.

Propôs ainda “a administração de uma zona industrial coerente, com bons acessos e estruturas pré-montadas e com incentivos públicos para as pequenas e médias empresas que surgirão como satélites dos dois pilares económicos do concelho”.

“Não podermos perder mais 15% [de população] nos próximos anos” afirmou, acrescentando que “temos as alternativas certas para revertermos esta tendência”.

A terminar, Enara Teixeira disse que “é tempo de renovação” e sublinhou: “Estamos aqui para ficar, para todos e todas erguermo-nos contra os senhores desta região e deste Douro”.

Publicado por Esquerda.net a 28 de agosto de 2021

Deixe o seu comentário

Skip to content