Cantina da UTAD mete água

A cantina da Quinta de Prados, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro mete água.  Em dias de chuva é recorrente que o chão fique encharcado pela chuva que caí do teto.
A UTAD, sedeada na cidade de Vila Real, tem atualmente mais de 7600 alunos, distribuídos por 5 escolas, Escola de Ciências Agrárias e Veterinárias, Escola de Ciências Humanas e Sociais, Escola de Ciências e Tecnologia, Escola de Ciências da Vida e do Ambiente e Escola Superior de Saúde.

 A UTAD dispõe de dois refeitórios da responsabilidade da SASUTAD, o refeitório da Quinta de Codessais e o refeitório da Quinta de Prados, que servem, segundo os dados de 2021, mais de 50 000 refeições. Atualmente só está em funcionamento o refeitório da Quinta de Prados.

O Bloco de Esquerda, em comunicado, refere que desde setembro do corrente ano têm chegado ao Grupo Parlamentar denúncias sobre a falta de condições do principal refeitório da Quinta de Prados, muita humidade no teto e nas paredes, chove em pleno refeitório, muito escorregadio e as condições de ventilação não são as melhores.  Esta situação está a causar grande desconforto e coloca em risco todos utentes e trabalhadores do refeitório.

Já em tempos, um grupo de alunos já tinha denunciado para a falta de condições da cantina e promoveu uma petição.

O Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior  e defende que esta situação deve ser resolvida o mais breve possível, dada a gravidade das condições para comunidade escolar e de a UTAD se encontrar numa região com invernos muito rigorosos.

Nas perguntas ao Governo, o Grupo Parlamentar quer saber se tem conhecimento desta situação, quais as  razões que são apontadas para a degradação do edifício que leva à elevada humidade e que chova em pleno refeitório e insta o ministério a agir para garantir que a situação denunciada seja resolvida e saber o prazo para resolver a situação.

 

Related Posts
Ler Mais

Associações e Movimentos exigem cancelamento da Mineração de Lítio

Os coletivos Associação Montalegre com Vida, Povo e Natureza do Barroso, Unidos pela Natureza - Associação de Desenvolvimento de Dornelas, Unidos em Defesa de Covas do Barroso, Movimento Não às Minas Montalegre, Coletivo Minas Não, Extinction Rebellion Portugal e Grupo de Investigação Territorial assinaram comunicado a exigir cancelamento da mineração de lítio em Portugal.
Ler Mais

Dia 22 de novembro há greve dos motoristas de autocarros

Os motoristas de autocarros estarão em greve na próxima segunda-feira para reivindicar melhorias salariais, subsídio de refeição e uma menor sobrecarga no horário de trabalho. Os sindicatos consideram ainda que os operadores estão a exercer pressão sobre os trabalhadores.
Skip to content