Regulamentação do Estatuto de Bombeiro Voluntário, reforma aos 60 anos, regulamentação da carreira entre outras exigências apresentadas pelo SNPC.

O Sindicato Nacional da Proteção Civil considera, em comunicado, que é de “elementar justiça que se começe a legislar a favor destes operacionais”.

Consideram “urgente a aprovação de um Estatuto Profissional que garanta a igualdade de salários e de progressões” para estes bombeiros que “estão na linha da frente no socorro às populações, atuando em diversas ações de socorro, muitas das vezes com dificuldades”.

Nesse sentido, listam em comunicado as reivindicações que querem ver ser discutidas e legisladas: “Aprovação da Regulamentação do Estatuto Bombeiro Voluntário; Reforma aos 60 anos sem prejuízo para o bombeiros e reformas equivalentes aos Bombeiros Sapadores, GNR e PSP; Equiparação das regalias e deveres aos Bombeiros Municipais; Regulamentação Carreira Bombeiro Assalariado das Associações; Vencimentos de acordo com a categoria e antiguidade; Horário laboral semanal equiparado aos Bombeiros Sapadores; Consideração da profissão de bombeiro, como profissão de desgaste rápido; Melhorar as condições do seguro de acidentes; Aumento do Apoio do Estado às Associações Humanitárias; Melhorar a oferta formativa gratuita e adaptada à realidade de actuação de cada CB; Mais fiscalização para o cumprimento dos direitos dos bombeiros a nível de segurança, nomeadamente a utilização de epi’s urbanos dentro da validade e descontaminação dos mesmos após cada incêndio. ( razão pela qual a taxa de cancro, entre outras doenças é maior nos bombeiros).”

Terminam o comunicado às redações da comunicação social com a promessa que o SNPC “continuará a lutar pelos Bombeiros, garantindo que continuaremos a insistir com todos os decisores políticos, sobre estes e outros temas” com o objetivo de “Dignificar e Valorizar os Bombeiros em Portugal”.

Deixe o seu comentário

Skip to content