No início da semana, 15 minutos de forte trovoada e granizo afetaram um ano de trabalho nas freguesias vila-realenses de Abaças e Guiães. Registam-se 300 hectares de vinha com prejuízos.

O Jornal de Notícias (JN) falou com duas mulheres agricultoras que testemunham os prejuízos provocados pela tempestade.

Leonilde Couto, viticultora de Abaças, contou como durante cerca de 15 minutos caiu granizo do tamanho de “nozes e bolas de pingue-pongue”, resumindo que “um ano de trabalho ficou reduzido a quase nada”.

O temporal de anteontem à noite, também prejudicou plantações em Guiães, havendo, refere o JN, segundo o levantamento técnico do Ministério da Agricultura, 300 hectares de vinha com prejuízos. Porém o presidente da Junta de Abaças, Filipe Brigas, adianta que outros frutos também foram afetados, como a cereja de junho, ou mesmo a azeitona.

Leonilde calcula que “90% da produção” tenha sido atingida, num ano em que se previa uma vindima farta, “nunca tive tanta uva como este ano, as videiras estavam carregadinhas”. Costuma produzir cinco pipas por ano, mas depois da tempestade se colher uma pipa “já é muito”.

Agora, é preciso correr atrás do prejuízo e “tentar salvar a vara, para ver se se aproveita para a poda, porque senão, tem que se fazer nova plantação”, esclareceu a agricultora ao JN, explicando que com este processo se gasta “muito dinheiro”.

Também Cristina Brigas, com terrenos em Abaças e Guiães, avança ao JN que o prejuízo “é muito”. “Uma pessoa anda o ano todo a lutar contra o míldio, doenças, pagar mão de obra e, depois, de um momento para o outro, destrói-se tudo”.

Deixe o seu comentário

Skip to content