Foto por cm-santacombadao.pt

Arqueólogos descobriram uma nova peça que permitiu situar cronologicamente as ruínas do Patarinho, no concelho de Santa Comba Dão, entre os séculos I e III depois de Cristo do Império Romano.

A equipa de arqueólogos a trabalhar no local descobriu, segundo refere a Câmara Municipal, um fragmento de terra sigillata, uma “cerâmica de luxo da época romana, que surge como um indicador cronológico de referência”.

A equipa de arqueólogos escava no Patarinho desde 2019 e inclui equipas de estudantes da Universidade de Coimbra e uma dezena de arqueólogos no terreno. Pedro Matos, diretor da escavação, explica que a zona era habitada por uma vasta comunidade “enquanto Conimbriga estava no auge”.

Está agora a decorrer a segunda fase da campanha de 2021, que tem permitido desvendar outras revelações, como um compartimento que corresponde a um novo edifício relacionado com um edifício já descoberto em 2019 e 2020, onde se produzia vinho ou azeite.

“Também com duas zonas de produção associadas, esta é uma estrutura diferente, quer pelo fragmento de terra sigillata aí encontrado, quer pelo género de construção com muros mais sólidos, de tipo senhorial”, lê-se na nota da autarquia.

Pedro Matos sublinha a relevância histórica da zona do Patarinho no âmbito do estudo do povoamento de Santa Comba Dão.

Deixe o seu comentário

Skip to content