Trabalhadores de fábrica de Vouzela receiam pelo futuro

Um protesto juntou mais de trinta trabalhadores da Britons, empresa de alcatifas de luxo, sediada na freguesia de Campia, concelho de Vouzela. Os trabalhadores estão reticentes quanto ao futuro da empresa, por causa da saída de quatro dos trinta e dois  teares, fundamentais para a produção de alcatifas. 

Segundo uma trabalhadora, com mais de 25 anos atividade na empresa, Maria Isabel Almeida, “Se os teares forem embora, a empresa não tem pernas para andar e estamos aqui porque estamos muito preocupados. Se eles venderem os teares, como ficará o nosso futuro? Se a empresa não tiver pernas para andar, o que restará para pagar as nossas indemnizações porque nós não trabalhamos aqui um dia nem dois, é um quarto de século”

Outro trabalhador, André Almeida, com 10 anos de trabalho na Britons, refere que os 4 teares são as melhores máquinas e que estão a caminho de outra unidade na Índia. 

A fábrica da Brintons em Campia, no concelho de Vouzela, funciona desde 1991. A Brintons é uma multinacional inglesa, com unidades industriais também no Reino Unido, na Polónia e na Índia. A empresa dispensou, desde abril de 2020, 140 trabalhadores, colocou em lay-off 45, a receberem 600€ e mantém outros 45 trabalhadores em atividade.  

Em maio de 2020 a empresa previa ampliar as suas instalações e criar 60 novos postos de trabalho, auferindo incentivos públicos a rondar os 1.5 milhões de euros. 

Related Posts
cvi
Ler Mais

Vila Real junta-se à Marcha pela vida independente

É já este sábado, junto à Estação de Vila Real, que terá início a marcha pela vida independente. Com o projeto-piloto de apoio à vida independente a chegar ao fim e nova legislação prometida, pretende-se fazer ouvir a voz das pessoas que precisam de assistência pessoal. Uma mobilização com o lema: “A vida independente tem de ser para toda a gente”.
Skip to content