Durante esta semana, com mais intensidade na passada segunda-feira, tem aparecido muita espuma em plena barragem da Aguieira, na foz do rio Dão. Esta situação já não é a primeira vez que acontece e as autoridades competentes, anteriormente, já tinham investigado o problema.

As imagens podem comprovar os vários focos de espuma que se encontram em plena barragem da Aguieira, mais precisamente na foz do rio Dão, onde se junta com o Mondego. Segundo a população, esta situação é recorrente e durante esta semana tem acontecido todos os dias, mas com mais intensidade na passada segunda-feira.

O local em questão, é uma zona de banhos, de lazer e desportos náuticos situada junto à foz do rio Dão, em plena barragem da Aguieira, também muito próxima do paredão. 

O Interior do Avesso tem conhecimento que esta situação já foi investigada e denunciada anteriormente, nomeadamente com a ida das autoridades competentes à possível origem do foco, numa unidade hoteleira.

A barragem da Aguieira, localizada no rio Mondego, no limite entre o município de Penacova e o município de Mortágua, foi construída em 1981 com a finalidade de produção de energia hidroeléctrica, mas com o tempo acabou também para servir para captação de água para consumo humano da região de Coimbra. A albufeira da barragem da Aguieira, classificada como albufeira de águas públicas protegida pelo Decreto Regulamentar n.º 2/88, de 20 de Janeiro, ocupa uma área de 2000 ha, integrando-se também no esquema de aproveitamento hidroagrícola do Baixo Mondego.

Deixe o seu comentário

Skip to content