A proposta do Bloco de Esquerda pela criação de suplementos remuneratórios para a carreira de Guarda Florestal do SEPNA, garantindo igualdade nos rendimentos de militares e civis que desempenham as mesmas funções na Guarda Florestal, foi aprovado no parlamento com votos contra do PS e abstenção do IL.

O Estatuto profissional dos Guardas Florestais do SEPNA já os reconheceu como Órgão de Polícia Criminal e os elementos civis (Guardas Florestais do SEPNA) desempenham exatamente as mesmas funções que os elementos militares (GNR do SEPNA), tendo para tal recebido uma formação especializada ministrada pela Polícia Judiciária.

Contudo, o tratamento entre os elementos civis e militares da Guarda Florestal é ainda desigual, nomeadamente nos rendimentos, devido aos suplementos remuneratórios recebidos pelos militares ganhando cerca de mais 350 euros.

O projeto de resolução do Bloco, agora aprovado, propõe a criação de um suplemento por exercício em funções da carreira dos Guardas Florestais e de um suplemento de escala, que garanta o “tratamento igual entre os elementos civis e os elementos militares do corpo da Guarda Florestal, nomeadamente no que respeita à remuneração, promovendo, com as entidades representativas destes profissionais, as negociações tendentes à criação” dos suplementos em causa.

Depois desta aprovação, no Facebook, a deputada do Bloco Sandra Cunha reafirma o objetivo desta proposta “a trabalho igual, salário igual”, insistindo que “não faz sentido que os elementos civis do Corpo da Guarda Florestal ganhem significativamente menos que os elementos militares do mesmo corpo, quando desempenham exatamente as mesmas funções, exatamente nas mesmas condições”.

 

É isto mesmo. A trabalho igual, salário igual. Não faz sentido que os elementos civis do Corpo da Guarda Florestal…

Publicado por Sandra Cunha em Sábado, 19 de setembro de 2020

Deixe o seu comentário

Skip to content