Foto de Rodrigo Batista | Lusa

Tendo em conta os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) relativamente ao número de desempregados inscritos, o distrito de Bragança tinha em julho deste ano mais 548 pessoas desempregadas comparativamente ao mesmo período de 2019. Em relação a fevereiro deste ano, pouco antes da pandemia se fazer sentir em Portugal, há mais 255 pessoas inscritas no IEFP.

Nos Concelhos de Bragança, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mogadouro, Torre de Moncorvo e Vila Flor houve um aumento do número de desempregados entre julho de 2019 e julho de 2020, enquanto que nos restantes concelhos do distrito se verificou uma redução.

No Concelho de Bragança o aumento do número de inscritos entre julho de 2019 e de 2020 chegou aos 27,01%, sendo superado por Miranda do Douro com uma variação de 28,48% e por Mogadouro com 39,84%. O Concelho onde o aumento do número de inscritos foi mais notório foi em Vila Flor com uma variação de 51,5%, passando de 200 para 303. Já em Alfândega da Fé (de 229 para 205), Mirandela (de 957 para 947), Vimioso (de 125 para 124) e Vinhais (de 262 para 246) o número de inscritos baixou nesse mesmo período. 

Tendo em conta dados do IEFP, desde fevereiro até julho deste ano, período entre o qual chegou a pandemia ao território nacional, o número de inscritos nos centros de emprego subiu com mais 89003 inscritos em Portugal Continental. O distrito de Bragança não foi exceção e o número de inscritos passou de 4535 em fevereiro para 4790 em julho.

Enquanto que nos concelhos de Alfândega da Fé, Bragança, Carrazeda de Ansiães, Miranda do Douro, Mirandela, Torre de Moncorvo e Vila Flor se registaram mais pessoas desempregadas, nos restantes concelhos houve uma redução desses inscritos, sendo, mesmo assim, o saldo negativo, ao registarem-se mais 255 pessoas inscritas no IEFP em julho do que em fevereiro de 2020.

Deixe o seu comentário

Skip to content