Feminismos sobre rodas é um projeto que junta mulheres com diferentes percursos no ativismo e de várias cidades do país. Nos últimos anos, têm participado nas várias mobilizações públicas contra a violência de género, precariedade, defesa dos direitos LGBT+, luta antirracista e ecologista, no litoral e interior do país.
São do Porto, Braga, Amarante, Lousada, Lamego, Lisboa e Viseu. Decidiram fazer-se à estrada e levam na bagagem ideias para conversas, filmes, performances, teatro do oprimido, máquina de filmar e tirar fotografias, cartazes para colar, panfletos para oferecer.
Na estrada, mulheres de um país para conhecerem mulheres de um país, e do mundo. Não levam respostas simples nem receitas prontas para resolver os problemas estruturais de discriminação e opressão. Levam a disponibilidade para trocar ideias e experiências , construir respostas coletivas que desafiem o conservadorismo, as injustiças e as desigualdades sociais.

Resende vai receber no dia 30 de novembro, próximo sábado, pelas 15h, uma Roda de Tricot, com o objetivo de proporcionar um ambiente favorável à partilha de histórias de vida e de experiências. Em Resende o nome proposto foi Roda fora da Caixa, dada a necessidade de quebrar com o conservadorismo. As participantes são mulheres de Resende, das imediações de Resende, mulheres jovens, empreendedoras, ativas e dinâmicas. Mulheres capazes de cativar outras mulheres no caminho da igualdade. O local do evento será um café/restaurante/bar, Ar de Aregos, localizado em Caldas de Âregos, a 5 km do centro da vila de Resende.

Está previsto o seguinte, sempre num clima descontraído e de partilha:
– Feminismos sobre Rodas apresenta a iniciativa.
– A Gisela Monteiro Borges é uma jovem que faz da música um dos seus projetos, tem uma história de resiliência para partilhar. É uma mulher de várias lutas. Para além de partilhar a sua história, animará a tarde com várias atuações musicais.
– A Rita Menezes dedica-se à fotografia e à moda há alguns anos. Irá apresentar a história da mulher na fotografia ao longo dos anos e apresentará algumas das suas fotografias numa exposição. Irá ainda orientar um mini workshop sobre o uso dos filtros das câmaras fotográficas dos telemóveis.
– A Maria Filipe é uma jovem de 15 anos com uma aptencia invulgar para a escrita. Tem um blog pessoal, onde partilha alguns dos seus textos. Irá ler os seus textos dedicados ao papel da mulher e à forma de sentir o seu desenvolvimento numa sociedade conservadora.

Esperamos por todas e por todos para que num ambiente informal, descontraído, descomplicado possamos ouvir histórias das nossas mulheres. Esta roda de conversa, do Feminismos sobre Rodas, será uma ação de promoção da cidadania e colocará Resende num caminho cada vez mais afastado do conservadorismo.

Deixe o seu comentário

Skip to content