Foto por Coolabora.pt

Num ano que confinou juntos vítimas e agressores, aumentando os riscos de violência e dificultando os pedidos de apoio, o Gabinete de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica da CooLabora atendeu, de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2020, 245 vítimas (216 mulheres e 29 homens). Este ano, mesmo durante o confinamento, continuarão a prestar apoio.

Segundo a página da Coolabora, do total de vítimas, 123 (101 mulheres e 22 homens) corresponderam a novas situações de violência doméstica, número que representa uma redução de 8,9% face a 2019. Por outro lado, foi registado um aumento de 37,1% de vítimas acompanhadas em anos anteriores que precisaram novamente de apoio, num total de 122 pessoas (115 mulheres e 7 homens). No total, os números representam um aumento de 9,4% em relação a 2019.

“Neste ano difícil, que reforçou vulnerabilidades já existentes e fez surgir tantas outras latentes ou desconhecidas, há outros dados que importa salientar: houve um aumento do número de pessoas idosas que precisaram de apoio; verificou-se um agravamento do tipo de violência sofrida e registou-se um aumento do número de pessoas a formalizar denúncia”, destaca a Coolabora.

Sublinhando ainda que também há sinais positivos, “foram mais de meia centena as pessoas que tiveram a força e coragem de sair de relações violentas, mostrando que há sempre uma alternativa à violência.”

O Gabinete de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica, em 2021, continuará a prestar serviços de apoio emocional, de informação jurídica e de encaminhamento social de forma gratuita e confidencial, mesmo no período de confinamento geral em que estamos.

Deixe o seu comentário

Skip to content