Molelos - Foto de Ao´tom´dela | Facebook

A petição, que já conta com mais de uma centena de subscritores, exige a revisão do projeto apresentado pela Câmara Municipal de Tondela. Em causa está uma via rápida que passará no meio de aglomerados habitacionais. 

A notícia foi avançada pelo Tondela Blog, que fala da “polémica instalada com a probabilidade de existir uma via rápida entre Campo de Besteiros e Molelos”, no concelho de Tondela. 

Os moradores da rua de São Domingos, em Molelos, já avançaram com uma petição pública, que neste momento conta com mais de uma centena de assinaturas.

Na petição pode-se ler que “os cidadãos, na qualidade de moradores na aldeia e Freguesia de Molelos, do concelho de Tondela, tendo tido conhecimento do troço, em fase de estudo, para a construção de uma estrada/via de ligação entre a Zona Industrial do Lajedo/Santiago de Besteiros e a EN 230 (que atravessa a freguesia no seu lado nascente e desemboca na rotunda de saída para o IP3), vêm expor o seguinte”. 

Entre os argumentos estão: O projeto “já teve vários troços e planos alternativos, sendo o último analisado, um troço que sai da rotunda situada entre Nandufe e Molelos, passando pelas instalações da antiga SOPOVICO e aí seguindo até à Zona Industrial”, no entanto “acontece que, nos últimos dias, tiveram os cidadãos conhecimento que se encontra em análise/estudo um troço alternativo àquele, que passa já dentro do aglomerado habitacional da freguesia, nomeadamente  na rua de São Domingos”. 

Os peticionários afirmam que “os cidadãos desta freguesia não podem, nem devem, conformar-se com tal possibilidade” já que “a rua de São Domingos encontra-se ladeada de casas de habitação, quase todas ali implantadas há mais de 20 anos, com agregados familiares compostos, essencialmente, de crianças e algumas pessoas de idade”. 

Para a população, “a via rodoviária que se encontra em estudo destina-se à veículos pesados que terão, nos termos ora apresentados, que se cruzar com o trânsito pedonal e outros que todos os dias circulam na rua de São Domingos”, por isso “os cidadãos em causa não podem aceitar que se altere o troço inicialmente proposto (que atravessa zonas de pinhal, com distância considerável para o aglomerado habitacional da freguesia) para um outro troço que atravessa, diretamente, uma rua da aldeia”. 

Os moradores afetados pedem assim que “seja realizada uma consulta prévia, a toda a população da freguesia, acercas dos troços em estudo para a construção da estrada em causa, com apresentação dos respetivos estudos, projetos e análises, bem como o fundamento para o troço selecionado ser o que atravessa uma via pública, com habitações dentro da localidade”. 

Deixe o seu comentário

Skip to content