Foto por Arek Socha | Pixabay

A Rede Solidária de Estudantes Africanos em Portugal lançou uma campanha a nível nacional para apoiar os alunos que estejam a passar dificuldades devido à Covid-19. A ideia partiu do estudante do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) Braima Dabó após ter já participado numa recolha de bens e fundos para apoio a estudantes conterrâneos da Guiné.

Com os apoios do IPB, da Cáritas e da ONG Na Rota dos Povos a rede solidária adquiriu capacidade de se estender a todo o país e a estudantes africanos de outras nacionalidades a estudar em Portugal, conforme declarou Braima Dabó à Rádio Brigantia: “decidimos que poderíamos incluir os outros estudantes africanos, a nível nacional, visto que estão a ter as mesmas dificuldades. Neste momento, estamos a contar com o apoio do IPB, da Cáritas de Bragança e uma ONG do Porto. O projecto conta ainda com 11 associações de estudantes”. A campanha conta ainda com o apoio das páginas do Instagram Portal Guigui, Nobalur e Blackfrodollsa.

As dificuldades sentidas pelos estudantes africanos em Portugal são muitas, incluindo alimentação, alojamento, saúde, os processos de autorização de residência e até máscaras, como conta Braima Dabó: “neste momento, é a questão da alimentação, de produtos higiénicos e tem surgido muito o pedido de máscaras. Estamos a ver se conseguimos angariar alguns tecidos para podermos costurar. Já identificámos alguns colegas que sabem costurar e que têm máquinas eléctricas em casa. Relativamente à questão da renda, temos alguns alunos que estão a ter dificuldades”.

Braima Dabó já era conhecido por nos mundiais de atletismo ter ajudado um outro corredor a terminar a prova, o que lhe valeu uma distinção da Federação Internacional de Atletismo. Empresta agora o seu nome a esta campanha de angariação de fundos para colegas carenciados, iniciativa abrangida por protocolos de cooperação entre o IPB e a Diocese de Bragança.

Deixe o seu comentário

Skip to content