Comunicado da Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Bragança sobre o 25 de Abril:

Abril vive. Vive na memória dos que o fizeram acontecer. Vive nas memórias dos que o presenciaram. Vive na liberdade conquistada. Vive na necessidade de o continuar, de seguir lutando pelos seus valores e pela equidade de uma sociedade justa. Uma vez mais, rememorado sob o ónus de incerteza da pandemia, as crises social e económica que nos assolam são reflexo da crise sanitária, cujo atual cenário de negócio e lucro, no capítulo das vacinas, veio pôr em evidência a essencialidade de verdadeiras políticas socialistas, no combate às desigualdades e dificuldades, agravadas nos últimos tempos. Expôs a fundamentabilidade de um serviço público de saúde, capacitado, organizado e ao serviço da população.

Recordar abril, não pode limitar-se a um discurso vazio de evocação da memória, urge recordar-se abril com obra e ação, conquistando os direitos e as liberdades, a justiça e a transparência porque é, ainda, necessário batalhar junto e com a população. É por isso que, entre tantas lutas, o Bloco de Esquerda está empenhado no imbróglio da venda das barragens, para que junto e com a população, do distrito de Bragança, alcancemos a justiça devida a estas gentes, sempre sacrificadas aos interesses centralistas do capital.

Recordar abril é vivê-lo no trabalho incansável que iniciativas cidadãs como o Movimento Cultural da Terra de Miranda ou o UIVO – Por uma Reserva da Biosfera Meseta Ibérica livre de minas têm desenvolvido neste distrito, como uma verdadeira demonstração daquilo que a cidadania é capaz. Estes também os valores de abril!

Nunca teremos em abril uma simples recordação, nem a ilusão de que tudo está feito, e, por isso, lutaremos sempre com todas as forças para que abril continue a acontecer todos os dias.

 

Arquivo sobre o 25 de Abril no Interior do Avesso

Deixe o seu comentário

Skip to content