Foto por Ao'tom'dela | Facebook

O julgamento que começava a 27 de outubro foi adiado para 15 de dezembro. José António Jesus e Pedro Adão (PSD) são acusados pelo Ministério Público (MP) por terem cobrado os quilómetros feitos em viagens em viaturas da autarquia como se tivessem usado viatura própria.

A primeira sessão do julgamento, agora adiada, terá lugar no dia 15 de dezembro, às 09H30, no Tribunal de Viseu e o MP pede a perda de mandato destes autarcas.

Como já noticiou o Interior do Avesso, a acusação, que veio a público a 5 de dezembro de 2019, refere-se a viagens que terão sido realizadas entre 2010 e 2017 por José António Jesus e Pedro Adão, presidente e vice-presidente da Câmara Municipal de Tondela. 

José António Jesus declarou estar “com consciência tranquila” enquanto aguarda “o desenvolvimento do processo” numa declaração subscrita pelo vereador Pedro Adão. No entanto, os valores que terão sido apurados depois de conhecidas as “desconformidades processuais”, disse a autarquia, já foram devolvidos 11.099,76€ por José António Jesus e 10.144,68€ por Pedro Adão.

A estrutura concelhia do PSD declarou “apoio institucional” a estes autarcas que nunca suspenderam ou renunciaram ao mandato.

Deixe o seu comentário

Skip to content