Num ano de confinamento e restrições, a cidadania e o direito de ocupar o espaço público não ficaram limitados. Pelo interior, várias foram as ocasiões e lutas que mobilizaram manifestações, cartas abertas, ou outras formas de reivindicação e protesto. Destacamos a luta antirracista, a justiça territorial que tem sido reclamada pelo Movimento Cultural da Terra de Miranda e a causa LGBTI+.

 

A luta antirracista marcou o ano

Logo no início do ano, em janeiro, soubemos da morte de Luis Giovani Rodrigues. O jovem cabo-verdiano, estudante do Instituto Politécnico de Bragança, que foi alvo de um espancamento em grupo em dezembro de 2019. O caso despoletou homenagens um pouco por todo o país e o interior não ficou de fora. Bragança, Covilhã, Guarda, Vila Real e Viseu ergueram a voz para as primeiras manifestações de um ano marcado pela luta antirracista.

Ainda em janeiro, foram detidos cinco suspeitos da morte de Giovani, que ficaram a aguardar julgamento em prisão preventiva. Em junho foram detidos mais 3 suspeitos. Em outubro foi finalmente anunciado que 7 dos oito arguidos do caso vão a julgamento acusados de homicídio e ofensas à integridade física.

Mas em junho a questão antirracista voltou em força. No seguimento do movimento internacional contra o racismo, provocado pelo assassinato de George Floyd por um polícia nos Estados Unidos da América, ocorreram vigílias na Guarda e em Viseu.

As ruas de Beja, Coimbra, Lisboa, Aveiro, Évora, Faro, Guimarães, Porto e Viseu (sob o mote “Há racismo e continua a matar!”) foram  novamente ocupadas por manifestações antirracistas em agosto, na sequência do assassinato de Bruno Candé.

 

Movimento Cultural da Terra de Miranda reclama justiça territorial

O Movimento Cultural da Terra de Miranda, constituído por coletivos e cidadãos da região, reivindicou em julho, através de um Manifesto, que as contrapartidas e impostos da venda das barragens do Douro Internacional, pela EDP à Engie, ficassem num fundo a ser gerido localmente.

Em Novembro, chegou o que parecia ser uma boa notícia e a resposta a esta reivindicação do Movimento. No âmbito do Orçamento do Estado para 2021, foi aprovada uma lei que afeta as receitas da venda e os impostos das barragens aos municípios da região.

Depois da norma ser aprovada, receando que fossem encontrados mecanismos para a contornar, o Movimento Cultural da Terra de Miranda, alertou o Governo para a situação, apelando a que não permitisse a venda com contornos que frustrassem o cumprimento da Lei. O que não se verificou: no dia 17 de dezembro, o Governo autorizou a venda sem acautelar a cobrança dos impostos devidos, traindo assim as expectativas da Terra de Miranda e fazendo com que um dos maiores negócios da história do país não pague qualquer imposto. 

Na passada segunda-feira, o ministro do Ambiente reuniu com os autarcas locais sobre a venda das barragens da EDP. O Movimento Cultural da Terra de Miranda foi excluído da reunião. O Interior do Avesso tem acompanhado de perto as lutas deste Movimento, e assim continuará a fazer.

 

A causa LGBTI+ continuou de todas as cores

Em Novembro recebemos e partilhámos os testemunhos da comunidade internacional LGBTI+ Fadas Radicais, alvo de tiroteios e ataques homofóbicos no Sabugal. Um episódio com ressonâncias da perseguição, ataques e agressões a homossexuais em Viseu no ano de 2005, que desencadeou a primeira manifestação fora de Lisboa pela reivindicação de direitos LGBTI+. Em 2020 foram assinalados os 15 anos da manifestação STOP Homofobia.

Exemplos como este, justificam o porquê das Marchas Pelos Direitos LGBTI+ terem de continuar a existir e se terem reinventado em 2020, e no Interior. Também por isso mesmo, o Interior do Avesso assinalou o mês de Junho, mês do Orgulho, como o Mês de Todas as Cores, com conteúdo especial.

Em Maio ocorreu a 4ª Marcha pelos Direitos LGBT+ de Vila Real. Apesar de todas as restrições e contingências, foi encontrada uma alternativa e a marcha realizou-se online. Em outubro foi a vez da 3.ª Marcha de Viseu Pelos Direitos LGBTI+, a única a sair à rua em 2020.

 

Dossiers 2020 do Avesso

Deixe o seu comentário

Skip to content