Recentes tempestades em Castelo Branco e Fundão a 9 e 10 de abril e em Vila Real no dia 31 de maio causaram uma enorme destruição em explorações agrícolas e consequentemente prejuízos muito avultados. Ministério anuncia linha de crédito de três milhões.

O Ministério da Agricultura citado pelo Diário Digital de Castelo Branco refere que “vai prestar apoio no âmbito dos custos relativos aos tratamentos fitossanitários de vinhas, culturas hortícolas, culturas permanentes, pomares e pequenos frutos”. A Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Norte que fez o levantamento dos prejuízos, não identificou “situações de danos associados a estruturas produtivas que possam requerer a realização de investimentos físicos para a sua recuperação”.

Segundo o Ministério “existem outros instrumentos para fazer face a este tipo de situações, sendo que o Ministério da Agricultura tem vindo a apoiar os prémios dos seguros de colheita, através da medida 6.1.1 – Seguros do PDR2020 e do Programa de Apoio ao Setor do Vinha, de modo a reduzir os encargos para o agricultor, permitindo segurar a produção e garantindo uma indemnização em caso de sinistro de origem meteorológica”.

No passado dia 31 de maio uma forte trovoada e granizo durante cerca de 15 minutos destruíram cerca de 300 hectares de vinha em aldeias do concelho de Vila Real causando enormes prejuízos.

Já em abril, também uma tempestade de granizo causou uma enorme destruição nas localidades de Póvoa da Atalaia, Atalaia do Campo, Castelo Novo e Soalheira no concelho do Fundão.

Deixe o seu comentário

Skip to content