Após a reunião do passado mês entre a Associação de Utentes e Sobreviventes do IP3 (AUS IP3) e as Infraestruturas de Portugal, ficou o compromisso de efetuar uma visita ao troço do IP3 em obras, entre o Nó de Penacova e o Nó da Lagoa Azul.

A visita realizou-se hoje, dia 21 de Fevereiro, e o ponto de encontro foi no estaleiro da obra, em Oliveira do Mondego. 

Em comunicado, a AUS IP3 informa que foi “mandatada pelas mais de sete mil pessoas que assinaram a petição MELHORIA E ALARGAMENTO DO IP3 SEM PORTAGENS PELA SEGURANÇA, ACESSIBILIDADE E DESENVOLVIMENTO, iremos solicitar que nos seja prestada toda a informação sobre o estado do processo de requalificação do IP3, o projeto de pormenor de todo o traçado, pois seria importante para nós podermos, com as populações, contribuir com propostas para a sua melhoria”. 

A associação afirma que “continua apreensiva sobre a forma como vão ser requalificados os nós de acesso às povoações, a necessidade de caminhos paralelos para que as populações se possam deslocar em segurança, nomeadamente na realização das tarefas agrícolas e de pastorícia, quais os graus de inclinação da via. Também iremos questionar sobre a forma como irá ser reduzido o impacto do ruído juntos das povoações. Que tipo de tratamento irá ser dado às escorrências da via, poluídas com metais pesados, provenientes das águas pluviais”. 

Terminam “entendendo que só com uma requalificação total e integral do IP3 é que se contribui para a melhoria e alagarmento do IP3 sem portagens pela segurança, acessibilidade e desenvolvimento”. 

 

(Escrito por DG)

Deixe o seu comentário

Skip to content