Câmara Municipal de Idanha-a-Nova | Foto de Rádio Castelo Branco | Facebook

As peças de arte foram oferecidas por Armindo Jacinto, Presidente da Câmara Municipal de Idanha-à-Nova, à então Presidente da CCDR-C, Ana Abrunhosa, atual Ministra da Coesão Territorial, pelo seu casamento. 

A autora dos quadros, Cristina Rodrigues, uma artista da região, disse ao jornal Expresso que nunca deu autorização para que os quadros fossem oferecidos. A artista soube que os seus quadros desapareceram durante uma viagem ao estrangeiro, as peças nem assinadas estavam. 

Ana Abrunhosa, quatro anos após o sucedido, disse que não sabia de nada e que vai devolver os quadros. Armindo Jacinto vai avançar com um processo-crime contra o jornal Expresso devido ao título da notícia que dava conta da situação: “Ministra recebeu quadros subtraídos”. 

Tal como noticia o BeiraNews, o Tribunal Judicial da Comarca de Castelo Branco, que apreciou o processo que Cristina Rodrigues moveu contra o Município de Idanha-a-Nova, rejeitou a indemnização de mais de 1 milhão de euros, solicitada pela artista, depois do Município se ter recusado a apoiar a sua proposta. Da decisão judicial resultou apenas a restituição de algumas peças.

Deixe o seu comentário

Skip to content