Foi eleita no passado domingo a nova Comissão Coordenadora Distrital de Vila Real do Bloco, que pretende “um Bloco de esquerda sólido e capaz de mudar o paradigma a que nos habituaram”, segundo refere Pedro Oliveira em declarações ao Interior do Avesso.

Dentro das prioridades elencadas pela moção que acompanha a lista, intitulada “MAIS BLOCO, PELO INTERIOR”, estão o “reforço à proteção social; a criação de melhorias na qualidade de vida da população residente no distrito; a defesa dos serviços públicos na área da saúde; a criação de condições para a prática do desporto; medidas para a criação de emprego/fixação de população no distrito; defesa da cultura.”

A recém-eleita distrital demonstra a sua solidariedade para com as populações, dando como exemplo a luta contra a exploração/prospeção de lítio no “concelho de Montalegre, em particular as aldeias de Morgade, Carvalhais e Rebordelo” e “no concelho de Boticas as áreas envolventes de Covas de Barroso.

Dão também relevo à defesa do património, como é o caso do Alto Douro Vinhateiro (ADV) que referem que “tem sido fortemente atacado por políticas permissivas por parte dos grandes interesses políticos nacionais e/ou locais”. Consideram também que a “Casa do Douro tem sido punida pelos interesses dos grandes proprietários, o que tem deixado desprotegidos todos os agricultores e pequenos produtores. É preciso estar junto daqueles que não têm forma e força para lutar pelos seus direitos.”

Assumem também que “este é o tempo dos direitos humanos tal com está expresso na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, estando o Bloco de Esquerda de Vila Real atento ao cumprimento integral de todos os direitos inscritos na Convenção no nosso distrito.”

Pedro Oliveira da nova Comissão Coordenadora Distrital refere que “esta candidatura organizou-se com o grande propósito de solidificar o Bloco de Esquerda no distrito: um Bloco de Esquerda sólido e capaz de mudar o paradigma a que nos habituaram.”

O membro da CCD refere que “o Bloco cresceu e tornou-se a terceira força política em bastantes municípios e essa força vai materializar-se na luta contra o decréscimo demográfico constante e a perda de serviços essenciais e de proximidade. Queremos um Bloco de Esquerda que lute pelos direitos das comunidades que habitam este interior cada vez mais abandonado.”

Refere ainda que esta lista “é feita de homens e mulheres que lutam diariamente em diversas linhas da frente: a norte com a luta dos interesses instalados pela exploração do lítio, a sul pela eletrificação total da linha do Douro, a luta pela implementação democrática no acesso aos transportes públicos em todo o distrito, a luta pela salvaguarda do património e da memória do distrito de Vila Real, a implementação de preços justos na água e eletricidade e, finalmente, pela regionalização: o distrito tem sido assolado pelo centralismo de Lisboa e que tem promovido que as CCDR’s se tornem presas dos autarcas.”

A lista é composta por Ana Catarina Alves Peniche, Carlos Manuel Moreira Gomes, José Luís da Silva Rodrigues, Lúcia Pereira da Cunha, Mário Emanuel Pinto Gonçalves, Pedro Guedes de Oliveira, Miriam Raquel Correia Pessoa Cabo, Rui Manuel Morais Borges e Rui Manuel Vítor Cortes como efetivos e também por Filipa Carvalho de Almeida, Sérgio Artur Sequeira Basto, Marcelo Leandro Araújo Pires Rodrigues, Ana Sofia Matos Gomes, José Manuel Borges Gonçalves e Rui de Carvalho Santos como suplentes.

Deixe o seu comentário

Skip to content