Foi detetado um possível fenómeno de eutrofização no rio Tua, na zona de Abreiro, concelho de Mirandela. O Bloco de Esquerda já questionou o Ministério do Ambiente e da Ação Climática sobre a ocorrência.

A situação foi detetada no passado dia 22 de agosto por um popular que fez um registo fotográfico e o divulgou redes sociais. Nesse registo, era visível “água com uma cor verde em centenas de metros de extensão do rio”

Na pergunta submetida pelo Bloco, o Governo é questionado sobre o conhecimento que tem da ocorrência e sobre a existência, periodicidade e resultados da monitorização, por parte da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), do estado ecológico e químico das águas do rio e dos seus afluentes.

O Bloco solicita ainda informações sobre a existência de um relatório e plano de intervenção para recuperação do rio do possível fenómeno de eutrofização, bem como sobre quantos Títulos de Utilização Hídrica estão concedidos para o rio Tua e em que modalidades.

A ocorrência agora registada poderá estar associada a episódios de poluição anteriores que poderão ter conduzido à eutrofização do rio, “o que compromete a sua biodiversidade e o ecossistema fluvial”, explica o Bloco.

Segundo a pergunta, “o rio Tua tem sido alvo de vários atentados ambientais nos últimos anos”. Como por exemplo em julho de 2017, em Frechas, localidade do Concelho de Mirandela, onde foi detetado um “número anormal de peixes mortos”, ou ainda em maio de 2018 em que se verificaram “manchas de óleo e sujidade numa vasta dimensão do leito do rio.”

O rio Tua, localizado no Território da Terra Quente do Nordeste Transmontano, com uma extensão de cerca de 40 quilómetros, resulta da junção do rio Tuela e do rio Rabaçal, perto da cidade de Mirandela. É um dos afluentes da margem direita do Rio Douro e numa parte do seu percurso faz a divisão entre os distritos de Bragança e de Vila Real. Durante o seu percurso, passa por cinco concelhos: Mirandela, Vila Flor, Carrazeda de Ansiães, Murça e Alijó.

Deixe o seu comentário

Skip to content