Foto de Vitor Oliveira | Flickr

Após a reunião com a Associação dos Amigos da Serra da Estrela – ASE, dia 15 de dezembro, o Bloco de Esquerda endereçou uma pergunta ao Governo em que pede esclarecimentos acerca do projecto dos teleféricos de acesso à Torre – Serra da Estrela, projeto que consta do Plano Nacional de Investimentos 2030.

As acessibilidades à Torre da Serra da Estrela têm sido alvo de bastante debate e propostas ao longo dos anos, pelo número consistente de pessoas que acedem por motivos de turismo, mas também pela própria mobilidade das populações daquela zona.

Já em setembro de 2019 a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM BSE) reuniu vários dirigentes políticos da região e representantes de entidades com atividade na Serra da Estrela para debater a questão dos acessos. Nesse sentido, os autarcas defenderam que se deve apostar no projeto das telecabines para resolver a questão de acessibilidade e de segurança decorrente da neve e tratamento que lhe é dada. Carlos Rodrigues, responsável pelas relações institucionais da Infraestruturas de Portugal (IP), rejeitou as críticas respeitantes à demora da reabertura das estradas e garantiu que nem com o dobro dos meios se conseguiria melhorar a eficiência, devido às características da neve da Serra da Estrela. No entanto, não ficou clara a posição relativamente à proposta das telecabines.

Para o Bloco de Esquerda as acessibilidades à Torre e toda a mobilidade daquela zona são uma matéria relevante, seja do ponto de vista da atividade económica turística, seja para as deslocações das próprias populações, mas também tem em conta o impacto ambiental que esta estrutura pode causar no ecossistema, e nesse sentido quer respostas do Governo que esclareçam a dimensão deste projeto e os prazos de conclusão do Estudo de Impacte Ambiental, que desejavelmente estará previsto para este projeto.

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content