No início do mês, a população de Guardão, no concelho de Tondela, em plena Serra do Caramulo, denunciou o abate indiscriminado de árvores. A autarquia reclamou e o ICNF confirmou que foram abatidos 105 pinheiros bravos.

Segundo uma nota da Câmara Municipal de Tondela, a autarquia reclamou devido ao abate indiscriminado de árvores no Cabeço da Neve denunciado pela população local. A operação, que remonta a finais do ano passado, abrangeu o corte de várias espécies. 

A nota refere que o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) tem feito no Cabeço da Neve, na Serra do Caramulo, “uma gestão cuidadosa e significativa” da floresta “abrangendo uma área de 25 hectares, encontrando-se em fase de execução”. 

A autarquia confirma ainda que, tanto a Câmara Municipal como a Junta de Freguesia de Guardão, não têm capacidade para intervir em áreas cuja gestão é da responsabilidade do ICNF e que ambas as instituições não receberam qualquer tipo de informação sobre o abate de árvores. 

O ICNF, em resposta dada ao município, afirma que o corte e extração das espécies de árvore foi devidamente acompanhado no terreno por um assistente operacional e que o material de lenha que resultou deste corte “foi alienado em hasta pública no passado mês de junho”. 

Sobre os motivos que levaram ao corte, o ICNF refere que a maioria estava “seco (totalmente ou em parte) e/ou derrubado”, sendo que foram cortados 105 pinheiros bravos verdes “devido à realização da faixa de proteção à Linha Elétrica e à Estrada Municipal”. 

Relacionados:

Deixe o seu comentário

Skip to content